Siga-nos no Instagram: @fluindomoda

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Digo Cardoso: uma entrevista incrível sobre vida, amor e arte!



Arte, decoração e marcas que eu acredito. Chegou a hora de compartilhar isso com vocês e para começo de conversa eu providenciei uma matéria com o grafiteiro e artista plástico Digo. Então se deliciem e aproveitem, vamos respirar um pouco de arte! 

Digo, é assim que é conhecido Rodrigo Cardoso dos Santos, 30 anos, pai de dois filhos e um dos principais artistas aqui da terrinha, Chapecó - SC. Se você nunca ouviu falar dele essa matéria foi feita para você e para os que já conhecem esse cara, tem muitas curiosidades.

O inicio de tudo!
 
O grafiteiro e artista plástico nasceu no interior de São Paulo, em Jacareí, viveu grande parte da sua infância (4 - 11 anos) na Capital do Paraná, Curitiba, se mudou para Chapecó quando em breve entraria na fase de adolescência, aos 12 anos. E foi nessa transição que o Rodrigo passou a se interessar pelo graffiti e estudar mais sobre esse tipo de arte, em 2001, enquanto concluía a 8ª série.

Tempos depois ele passava a visitar seu amigo em Curitiba, onde em comum acordo uma vez por ano ele iria até a capital e seu amigo viria para Chapecó. Numa dessas idas seu amigo vinha aprendendo a fazer letras de pichação, não deixando passar em branco, Digo logo tratou de pedir para ensina-lo a escrever seu nome e veio para a terrinha já sabendo fazer isso. 

Foto: Digo Cardoso
Com o tempo a paixão veio ganhando força e a saga por encontrar materiais que pudessem lhe dar embasamento e conhecimento para se aprofundar, não foi nenhum pouco fácil. As dificuldades começavam com “dial-up” ou que conhecemos como internet discada - um sistema de navegação de internet que utilizava a rede pública de telefonia comutada para estabelecer conexão de um provedor de acesso à internet. Além disso nem na internet e nem por aqui encontrava-se com facilidade materiais, então ele começou usando sprays comuns utilizados para ferragem. 

O Artista

E pasmem, ser um artista plástico não era um objetivo traçado por Rodrigo, ele só veio se dar conta dessa possibilidade em 2009, quando conheceu uma pessoa que o incentivou a tirar os desenhos da gaveta para mostrar ao mundo. E muito humilde ele ressalta que não conseguiu nada sozinho, sempre contou com ajudas muito especiais, como essa misteriosa citada acima. 

Demétra personagem carinhosamente criada por Digo - Unochapecó

 Digo é muito pé no chão quanto ao seu reconhecimento, diz que isso veio como consequência de sua dedicação e aperfeiçoamento de sua arte. Mas se sente muito honrado quando as pessoas param para falar de seu trabalho, que vem ganhando total dedicação desde 2012. E vemos o quão apaixonado é por sua arte quando pergunto qual seu trabalho mais marcante e ele reluta em responder algum especifico, por que acredita que cada trabalho ter um amor, uma experiência e um sentimento diferente, mas ressalta um carinho grande por “Demétra” que é uma menininha criada por ele sendo já uma marca registrada em sua carreira.

Demétra também passeia pela cidade - Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes
Prêmios recebidos por ele são os projetos que ele vem participando, exposições, editais que geram novas experiências, novos pontos de vista, além de ter o privilégio de espalhar sua arte por aí.

Zona de Conforto

Recentemente, Digo à convite de uma marca nacional do setor de calçados e bolsas femininas que tem franquia em Chapecó, participou de um dia de customização para as clientes da marca, e trouxe sua arte de uma forma bastante exclusiva. Sobre essa experiência ele diz ter saído de sua zona de conforto e confessa que não foi tão fácil assim aceitar essa ideia. “Difícil, diferente, não gosto, não quero.” Mas ele encarou como um desafio e uma nova possibilidade e diz não ter se arrependido nenhum pouco disso, contudo só o fez crescer enquanto profissional.

Foto de customização que Digo realizou para a Arezzo Chapecó recentemente.

Foto de customização que Digo realizou para a Arezzo Chapecó recentemente.


A vida do grafite

Pintar em lugares em fase de demolição para o Digo são coisas que podemos perceber com frequência, e quando questionado se ele não tem medo de sua arte não estar mais ali, ele responde que o que ele gosta mesmo é do contraste, trazer alegria a esses lugares depredados e acredita que isso “funciona” com as cores que usa e seus personagens. “O graffiti é isso mesmo, ele respira, tem vida, não necessariamente é uma pintura feita para durar para sempre”, assim expressa Digo Cardoso. 

Grafitti feito por Digo em casa em demolição intitulado de ELO
Grafitti feito por Digo em construção abandonada em Chapecó
Grafitti feito por Digo em casa em fase de demolição


Curiosidades

Para quem ainda não sabe, Digo Cardoso é um pioneiro da street art em Chapecó e não é reconhecido apenas regionalmente, mas é um artista reconhecido mundo afora, sua arte já passou pela Alemanha (Crimmitschau, Magdeburg, Berlim), Inglaterra (Londres e Birmingham) e pela França (Paris e Vitry-sur-Siene). Ele fez dois anos de Publicidade e Propaganda e 2 anos de Design Visual, mas não concluiu nenhum dos cursos. 

Londres 2014  


O segredo do sucesso?

Essa não foi uma pergunta que eu fiz à ele, mas toda vez que falava sobre suas obras e seu reconhecimento mencionava de maneira não tão explicita a palavra humildade, reconhecendo que não chegou sozinho à esse mérito. Agradecer sempre, a todo o momento e expulsar de si a negatividade também foi uma das coisas que ele demonstra exercitar, o “eu não consigo” parece não ter muito espaço.

Desenho feito em Rodeio por Digo
Enfim pessuuuuuuu, era isso. Espero que tenham gostado, agora matérias sobre marcas, profissionais, pessoas que acredito serão tema frequente aqui no blog, fiquem de olho, é toda quarta! 

Quem quiser conhecer mais obras do Digo Cardoso segue ele no Instagram: @digo_cardoso  ou no Facebook: /arte.digocardoso.

E não deixe de nos seguir também nas redes socias!

Até já! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar, você entende de moda!!

Google+ Badge